Energia positiva e coisa de Deus.


Existem várias maneiras de aumentar a sua energia positiva. As coisas que queremos devem vibrar em uma frequência específica, alinhada com uma frequência vibracional idêntica, para que as coisas comecem a aparecer na vida.

Existem várias maneiras de fazer isso.

O sorriso – Quando você sorri, ele automaticamente envia sinais para o cérebro que fazem você se sentir mais feliz, num instante.

Estudos mostram que, se você olhar para si mesmo, sorrindo em frente ao espelho todos os dias, você será mais feliz.

Faça isso, tente e avalie a experiência. Se você mantendo o sorriso vai perceber os outros sorrindo de volta pra você. O que, por si mesmo, é outra ótima maneira para aumentar sua energia positiva.

Um sorriso realmente faz iluminar uma sala inteira. O significado de um sorriso é muito importante pra entender. Mantenha um em seu rosto e veja o quão longe você vai.

Você vai ser agradavelmente surpreendido!

Dizer palavras amáveis – Quando você é gentil com os outros, faz-nos sentir bem.

Isso faz com que eles emitem uma energia vibracional que será direcionada de volta para você de uma forma muito positiva.

É por isso que os gestores, professores e pais são encorajados a fornecer feedbacks positivos a seus funcionários, alunos e crianças. Esse feedback positivo é refletido de volta para eles em forma de aumento da produtividade, o moral mais feliz, e um ambiente carregado positivamente, em geral.

Quando você está com uma pessoa positiva, a energia flui muito melhor. A comunicação é bem melhor. Você já deve ter percebido isso.

Mas suas palavras devem ser verdadeiras. Você deve encontrar formas de falar palavras positivas e verdadeiras antes de dizer qualquer coisa.

Mesmo quando não está muito fácil, existem coisas boas nas situações. Veja o lado bom das coisas. Não seja como os pessimistas, que só vêem o lado ruim das coisas.

Afirmações positivas – As afirmações positivas trabalham como um funil para reunir a energia positiva do universo para nós mesmos numa vibração positiva.

As afirmações positivas trabalham de forma muito eficaz para quem as usa em uma base regular. Elas ajudam as pessoas a fazerem verdadeiras transformações em suas vidas.

Então, por que não as usa para ajudar a fortalecer a energia vibracional positiva também?

Aqui estão algumas das melhores afirmações para você usar, especialmente para atrair mais energia positiva. Obviamente, você pode escolher a que faz você sentir estado emocional positivo. Use o que faz mais sentido pra você.

Você também podem usar a criatividade e fazer as suas próprias afirmações positivas.

Sugestões de afirmações

Eu atraio energia positiva como um ímã, fortalecendo minhas vibrações;

Minha mente absorve toda a energia positiva que precisa para manifestar riquezas;

Eu posso sentir a minha energia vibracional crescendo positivamente, a cada momento;

Estou cercado de positividade com uma aura de forte energia vibracional;

O universo responde ao meu pensamento positivo;

Nada e ninguém pode me impedir de manter a minha energia positiva elevada;

Voluntariado – Não só você vai está ajudando outras pessoas quando você dedicar seu tempo e lealdade a uma causa em necessidade, mas, você também está ajudando a si mesmo. Se estiver disposto, participe de alguma atividade como voluntário.

O voluntariado é uma maneira infalívelde aumentar sua energia vibracional positiva, exponencialmente. Na verdade, esta é uma das maneiras mais eficazes para obter um grande impulso de energia positiva, que dura por semanas, meses ou mesmo anos.

O voluntariado pode ser orientado para fazer mudanças permanentes e positivas para as pessoas, animais, o meio ambiente ou qualquer outra causa que você se sente fortemente interessado.

O melhor é ser voluntário em algum lugar onde você tenha um forte sentimento positivo.

De qualquer forma, tente fazer algo pelo o que se sente apaixonado. Algumas grandes causas, que geralmente, são muito positivas é o habitat humano, que ajuda a construir habitação a preços acessíveis para aqueles que precisam.

Existem muitos programas de voluntariado por aí a fora. Então, se certifique de escolher um que realmente se sente bem. O voluntariado não é para todos, então não force.

Existem ainda muitas outras dicas de aumentar a energia positiva!

Relacionamentos positivos – As pessoas que você escolhe para fazer parte da sua vida irão desempenhar um papel importante na energia vibracional que irradiam.

Cerque-se de pessoas otimista e solidária. Pessoas que possam motivar e inspirar você.

Aqueles que realmente não deve ser uma parte de sua vida diária incluem pessoas que estão constantemente negativas, ou são críticos em todos os aspectos da vida.

Você não precisa ser inimigo de ninguém. Mas você pode e tem o direito de se distanciar de pessoas que tem um impacto negativo sobre o seu desenvolvimento.

Meditação – A meditação pode ajudar você a se conectar com sua mente em um nível totalmente novo. A meditação pode ajudar a transformar a sua energia drasticamente.

A meditação é simples e fácil de fazer para aumentar a energia positiva.

Meditação

  1. Encontre um lugar tranquilo, onde fica confortável;
  2. Preste atenção na sua respiração e relaxe seu corpo durante alguns minutos;
  3. Imagine que uma luz suave e brilhante o rodeia. Ela o faz se sentir feliz, poderoso(a) e positivo(a).

Com cada respiração a luz enche seus pulmões e viaja através de seu corpo.

Você está irradiando uma aura brilhante de energia positiva.

Sorria enquanto os sentimentos de pura energia positiva fazem parte de você.

Esta aura positiva está com você onde quer que vá. Ela preenche sua mente com força renovada.

  1. Essa energia positiva está sempre disponível para você.
  2. Agora abra os olhos e permaneça nesse estado de ampliada energia positiva, permaneça neste campo vibracional para atrair riqueza.

Durma o suficiente – Quando a mente de uma pessoa está bem descansada, é muito mais forte, e a energia vibracional positiva é muito intensa.

Quando alguém está sofrendo de falta de sono, é nebuloso e tem dificuldade para produzir quaisquer vibrações positivas.

Você provavelmente se lembra da última vez que você não dormiu o suficiente. Você, provavelmente, ficou irritadiço e improdutivo. A lição aqui é que o sono desempenha um papel importante na construção e manutenção de energia positiva.

A maioria dos especialistas recomenda um mínimo de seis horas de sono por noite.

Esta é a quantidade de sono que nossa mente requer.

Alimentar o seu corpo corretamente – A nutrição adequada também é um aspecto importante, e muitas vezes ignorado, mas, é extremamente benéfico.

Alimentos e água são essenciais para nossa existência e uma peça fundamental do quebra-cabeça para aumentar a nossa energia positiva.

Eu, particularmente, não fico muito positivo, quando estou com fome.

Comer de forma saudável e beber muita água durante todo o dia vai ajudar a se manter saudável.

Você deve comer muitas frutas e legumes, deve monitorar seu consumo de pães, fontes de proteínas e produtoslácteos, encontre fontes saudáveis de gordura, e coma doces com moderação. Cuidado com o sal, também.

Além de uma dieta saudável, uma caminhada de 30 minutos por dia irá ajudar a manter sua mente afiada.

Concentre-se na emoção mais poderosa– O amor é o sentimento mais importante e poderoso que existe. Faz as pessoas fazerem coisas que nunca estariam dispostas a fazer por qualqueroutra razão.

O amor dar a capacidade de realizar quase tudo o que define a sua mente. Quando alguém usa o amor em conjunto com a Lei da Atração para atrair riqueza, os resultados são surpreendentes.

Você pode usar o amor para canalizar essa enorme energia emocional em suas intenções de construção de riqueza.

Esse amor pode ser para si mesmo, um animal de estimação, um membro da família, basicamente qualquer coisa ou pessoa.

Mas, o amor também pode ser expresso por seu trabalho. E quando isso acontece, você tende a encontrar riqueza ilimitada.

Relações que se ajudam


Cotidianamente, somos tomados por inúmeras necessidades que não se limitam apenas a coisas de ordem material. Se assim fosse, a vida provavelmente seria mais simples. Nosso repertório de necessidades psicológicas é inesgotável; os sentidos sempre se encontram à espreita de estímulos variados. Desejamos, sonhamos, alucinamos e, muitas vezes, não conseguimos atender o esperado, na medida em que gostaríamos. Daí vem a tão conhecida sensação de incapacidade e frustração.

Entretanto, o que me chama a atenção é que, culturalmente, não fomos educados para expressar nossas necessidades e desejos de forma clara e direta. Ao contrário, costumamos dar inúmeras voltas e dicas, esperando que o outro adivinhe o que queremos. É como se, ao decifrar nossos desejos, houvesse fortes sinais da verdadeira demonstração de afeto do outro por nós. Ledo engano! O amor, em qualquer forma de expressão, não se rende às adivinhações e, sim, à espontaneidade e ao ato de servir.

Por outro lado, também nos equivocamos na forma de oferecer ajuda. Edgar Schein, em sua obra “Ajuda: a relação essencial”, esclarece de forma simples o enigma do processo da ajuda, à medida que revela a existência de algo mais complexo que está por trás desse tipo de comportamento: o investimento de tempo, de afeto e de boas ideias. Assim, se não fizermos esses valiosos exercícios, provavelmente pouco contribuiremos com o outro.

Nem sempre somos bem-sucedidos nesse tipo de atitude, isso porque tentamos fazer algo pelo outro baseados no modo como gostaríamos de ser tratados, deixando de perguntar à outra parte de que forma podemos efetivamente atendê-la. Dessa maneira, assumimos uma posição de maior controle da situação, ao dizer e fazer coisas que nos empoderam enquanto a outra parte, estando mais fragilizada, tende a reagir à ajuda com reservas, uma vez que recebe algo diferente da sua real necessidade psicológica.

Para Schein, saber quando e como dar ajuda e quando e como recebê-la dos outros são percepções que tornam os relacionamentos mais produtivos e prazerosos. Isso me ajudou a refletir sobre o valor do acolhimento em qualquer relacionamento dessa natureza, pois, sem essa atitude refinada, não há como gerar confiança.

Recentemente, tive uma experiência que me impactou um bocado. Ao chegar na entrada da pediatria de determinado hospital, para fazer meu trabalho voluntário, deparei com uma mãe deitada em um sofá e o seu filho dormindo no outro. Eu já os conhecia, cumprimentei-a e entrei na ala pediátrica. Somente mais tarde é que descobri que ela aguardava uma consulta médica para o menino.

Algum tempo depois, eu a vi novamente, parecia-me debilitada, como quem está à beira de um desmaio; cheguei mais perto a fim de colaborar de alguma forma. Ela me disse que sentia fortes dores de cabeça e outros sintomas. Esperava melhorar um pouco para retornar à sua cidade dirigindo. Percebi que era quase um pedido de socorro, pois não havia condições físicas para fazer uma viagem naquelas condições.

Nesse momento, busquei apoio junto à enfermeira que por ali passava e, posteriormente, fiz uso de outros recursos disponíveis, contando com a colaboração de terceiros para o atendimento de suas necessidades. Tranquilizei-me no momento em que encontrei parceiros com uma boa dose de disposição em fazer o melhor possível no momento. Quando eles foram acomodados e alimentados e o pai da criança confirmou que estava saindo para vir buscá-los, pude deixar o local, com um sentimento de compaixão e bem-estar.

Essa experiência despertou o verdadeiro sentido da relação de ajuda, acessando alguns sentimentos presentes. Senti-me ansiosa por vê-los em segurança, pretendendo dar toda a atenção possível. Em alguns momentos, também me vi impotente para fazer algo sozinha, mas me lembrei que, quanto mais empatia e respeito exercesse, contribuiria de alguma forma para que o problema fosse atendido.

Percebi, então, que os maiores valores gerados na situação haviam sido a confiança e a credibilidade. Sem esses elementos, creio que a ajuda ficaria sem sentido; talvez mais a serviço da minha ansiedade do que em prol do exercício de amor pelo outro.

Não há nessa vida alguém que só tenha o que receber ou o que doar; esses papéis se alternam o tempo todo de forma dinâmica e interdependente. Ora dependemos do outro e vice-versa. E se estivéssemos no lugar dessa mãe e filho? Essa pergunta não quer calar…pois nos convida a pensar mais profundamente sobre o valor das relações que se ajudam e prosperam.

Maria Cristina Costa Consalter

Referencia bibliográfica:

Schein, Edgard H.

Ajuda: a relação essencial- valorize o poder de dar e receber ajuda. São Paulo: Arx Saraiva. 2009.

Medo,pazes com passado.


20181116_132250É comum observamos pessoas atormentadas por experiências dolorosas que causaram emoções conflitantes. E, ao se verem constantemente revisitadas pelos fantasmas do passado, criam impedimentos para o curso natural da vida, restando-lhes muitas vezes à autocomiseração e autopunição.

O filme “ Lion- Uma jornada para casa”, narra a comovente história de Saroo, um garoto indiano que viveu em uma pobre aldeia com sua família até os cinco anos de idade. Certo dia, pediu ao irmão mais velho, que o levasse à estação de trem no período da noite, a fim de trabalhar, ajudar nas despesas da casa e poder comprar os seus doces preferidos. Apesar da resistência inicial, o irmão cedeu ao seu apelo, mesmo considerando a ideia uma bocado arriscada.

Algum tempo depois que chegaram na estação, perderam-se um do outro. O garoto assustado e sonolento, procurou pelo irmão desesperadamente e depois de várias tentativas, entrou em um vagão para se proteger. E, ali adormeceu solitariamente, desembarcando na cidade de Calcutá dois dias depois. Perambulou pelas ruas dias a fio, chamando pelo nome da mãe e do irmão. Até que em algum momento, foi recolhido em um orfanato.

Apesar da intensa divulgação nos meios de comunicação, não houve contato da família e assim, um ano depois, Saroo, foi adotado por um casal de Australianos. Recebeu um novo lar, revestido de tudo que lhe era caro; amor e proteção. Assim, procurou ser um filho atencioso e dedicado, ressentindo-se com o comportamento destrutivo do irmão adotivo por gerar sofrimento nos pais.

Vinte anos depois, Saroo  decidiu fazer faculdade e atuar na área de hotelaria em uma cidade distante. Passou a conviver com colegas indianos e reviver intensamente as tradições da cultura indiana, sentindo -se cada vez mais, aprisionado pelas lembranças da infância e ao mesmo tempo, estimulado a buscar contato com a família de origem. Iniciou um namoro com uma jovem Americana que também fazia parte do grupo e dela, recebia suporte e afeto.

A partir de então, mergulhou em uma crise pessoal intensa; deixou o emprego; rompeu o namoro e amargurou-se com o grande vazio interno. Sentia-se obcecado com a memória do passado, chegando a fantasiar as consequências do seu desaparecimento. Teria feito a mãe sofrer com o seu sumiço? Como ela estaria? Assim, depois de infrutíferas pesquisas, utilizou um aplicativo de internet até conseguir localizar o verdadeiro nome da Aldeia, já que na sua memória infantil pronunciara-o incorretamente…

Ao chegar na região aonde passara parte da sua pobre infância, deparou-se com a mãe; uma sofrida e envelhecida mulher. Abraçaram-se como se fosse possível reparar todo o tempo perdido e assim, pudessem “colar todos os caquinhos do coração”. Soube, então que o irmão havia morrido na estação ao cair nos trilhos, naquela fatídica noite.

Tempos depois, conseguiu reaver sua vida de volta e assim, levou a mãe adotiva à índia para conhecer a sua progenitora. Sentia gratidão e forte necessidade de promover o encontro entre as mães: a que o gerou, e a que o criou. Ali tudo fez sentido, pôde acolher e ser acolhido…amar e ser amado, perder-se e reencontrar-se….

Quando dores dessa natureza, avassalam a alma das pessoas marcadas pelas suas histórias pessoais. Há sempre a oportunidade de se fazer as pazes com o passado que não mais voltará… O trabalho de acolhê-lo e deixá-lo no lugar que lhe é devido, só pode fluir quando revisitado com um “olhar mais acurado”. Nesse sentido os velhos “fantasmas” da mente vão se esgarçando até se enfraquecerem, restando a  cicatriz de uma experiência vivida, amadurecida e demarcada pela jornada de volta para casa.

O medo, suas dores e seus enfrentamentos — mcconsalter desenvolvimento de pessoas


Durante a infância, quem se deparou com uma coleção de medos sob a face da perversidade? Certamente, isso não escapa à nossa humanidade! Somos um bocado vulneráveis às emoções e experiências negativas, e instintivamente, reagimos àquilo que ameaça à integridade física e mental. Na verdade, cada um de nós, utiliza os recursos que é capaz […]

via O medo, suas dores e seus enfrentamentos — mcconsalter desenvolvimento de pessoas